• Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Pinterest Icon
0

Tutorial: como confeccionar talismãs com sigilos planetários

21.9.2017

Os sigilos planetários e suas derivações simbolizam forças superiores que, somadas à nossa intenção, acrescentam magnitude e foco ao nosso objetivo. Aprenda a usar um dos métodos mais populares na magia talismânica! 

 

Fazer um talismã não é moleza! Diferentemente de um amuleto, o talismã exige um planejamento e uma fabricação especial. Você já deu uma olhada no nosso post completo sobre o funcionamento, origem, tipos e métodos de confecção de talismãs?

 

Se não deu, agora é a hora minha gente: O guia básico de Amuletos Talismãs - Parte 2.

 

O material que você vai ver a seguir foi especialmente elaborado para que você possa aprender a fazer um talismã tradicional em formato de medalha, com informações sobre os itens que devem estar em sua composição e como ele deve ser executado.

 

Os símbolos escolhidos para a gravação foram os sigilos planetários, então aprenderemos como é possível usar essas influências na fabricação de um talismã pessoal. Vamos lá?

 

Escolhendo os sigilos que serão gravados no seu talismã


Os primeiros sigilos associados a planetas apareceram pelas mãos de Heinrich Cornelius Agrippa, conhecido por publicar a coletânea mais abrangente sobre magia e artes ocultas em 1510. Esses sigilos surgiram a partir do estudo dos quadrados mágicos planetários e das possibilidades de suas representações figurativas, de modo a atrair as suas forças específicas.

 

Aprenda mais sobre esse assunto em: A origem dos quadrados mágicos e dos sigilos planetários. 

 

Como tudo aquilo que existe no Universo, os planetas também tem aspectos positivos e negativos. E por causa dessa dualidade, além do sigilo característico que representa todo um planeta, também existem os sigilos de sua alma, divididos em bons e maus, chamados de Inteligência e Espírito, respectivamente. É evidente que somente os sigilos que representam um planeta e os sigilos relacionados à sua Inteligência devem ser usados na fabricação de talismãs. Jamais utilize representações dos aspectos negativos (Espírito) de um planeta em um talismã, isso só vai atrair essa negatividade para sua vida. 

 

Bom, pra escolher com segurança quais sigilos você deverá gravar em seu talismã, comece pensando naquilo que você deseja atrair para ele. O que é que você está precisando no momento? Qual problema quer resolver? Com isso em mente, você deverá passar para a pesquisa das correspondências planetárias para buscar o planeta que te trará melhores resultados na concretização do seu desejo.

 

Conheça esta tabela em: O Guia Básico de Correspondências Planetárias

 

Vamos supor que a sua intenção seja atrair saúde para seu corpo.

 

Como 70% do nosso corpo é feito de água e como a Lua possui forte influência em toda a água do nosso planeta (veja as marés, por exemplo), não é surpresa que a Lua seja o planeta ideal para trabalhar as energias de cura física. O elemento água e a Lua são correspondentes, por isso a água também é reconhecida por suas propriedades curativas.

 

Vale lembrar aqui que a Lua, assim como o Sol, mesmo não sendo planetas de fato, estão inseridos nos 7 planetas conhecidos na Antiguidade, portanto fazem parte da Astrologia e das práticas mágicas (o que faz bastante sentido, porque são fortíssimas influências para nós aqui na Terra).
 

Bom, de acordo com Cornelius Agrippa, o sigilo da inteligência da lua é capaz de atrair saúde corporal duradoura e afastar influências negativas. Então, sem dúvidas, o caráter da Lua e o sigilo da Inteligência da Lua (a parte de sua alma que é positiva) já são dois símbolos que deverão estar no seu talismã de cura e saúde. 

 

Agora, os sigilos personalizados!
 

Vamos começar pelo terceiro símbolo, que no nosso exemplo de talismã para a cura, deverá ser o sigilo do seu nome sob a influência da Lua. Esse sigilo vai direcionar as energias do seu talismã diretamente pra você, o que amplia a sua força uma vez que isso evita que o talismã desperdice as energias com as outras pessoas ao seu redor. Não é todo mundo que está precisando de cura física, não é? Por isso é importante direcionar para você mesmo aquilo que você deseja alcançar. Você pode usar o seu nome mágico ou o seu nome próprio para criar o seu sigilo pessoal. Para isso, você vai ter que começar transformando o seu nome em números.

 

O método mais recomendado para encontrar os números do seu nome é através da tabela pitagórica, que atribuiu um valor numérico para cada letra do alfabeto. Essa tabela é hoje a base de grande parte do estudo numerológico, onde cada número possui um valor metafísico importante e representa uma vibração cósmica distinta e única.

 

Pitágoras, o criador da tabela, foi um grande estudioso desse assunto. Para ele, todas as coisas podiam ser transformadas em números, pois todas as experiências da vida estão contidas nos números de 1 a 9. 

 

Para usar a tabela pitagórica, basta encontrar nela os números correspondentes ao seu nome e anotar a sequência. Por exemplo, o meu nome (Sté Gómez) fica assim: 12576458. 

 

Depois, você vai precisar rastrear os números do seu nome no quadrado mágico da Lua. Lembra que comentei que os sigilos eram originados a partir dos quadrados mágicos? Eu recomendo fortemente que você dê uma olhada na postagem A origem dos quadrados mágicos e dos sigilos planetários para entender esse assunto a fundo. Um verdadeiro mago só mexe naquilo que conhece bem!

 

Então, considerando que você estudou tudinho sobre esse assunto, imprima ou desenhe o quadrado mágico da Lua num papel. Coloque outra folha de papel em branco por cima do quadrado e comece marcando o primeiro número do seu nome com uma bolinha, passando depois o lápis ou caneta sobre cada um dos números e finalizando com outra marcação no último número. Para facilitar o processo, você pode usar uma mesa com tampo de vidro e acender um abajur em baixo dela para desenhar! Ou, se preferir, faça no Illustrator ou no Photoshop (eu mesma usei essa técnica).

 

Se você estiver fazendo um talismã para outro propósito, procure nas correspondências planetárias o planeta regente mais adequado à sua intenção e use o seu quadrado mágico específico. Da mesma forma, você deverá usar o sigilo planetário correto e o sigilo da inteligência desse mesmo planeta que você quer ativar. Não vá confundir as bolas!
 

O quarto sigilo será a síntese da sua intenção. Como diz a escritura sagrada, Pedi, e dar-se-vos-á (Mateus 7:7). Por isso, saiba exatamente o que você quer pedir, porque vai ser exatamente isso o que você vai receber. Meça as suas palavras, seja específico. Quanto mais específica for a sua intenção, mais chances o talismã tem de dar certo. 
 

Quando falamos de intenções, considere que o Universo apenas entende as afirmações positivas. Ou seja, quando uma pessoa fica repetindo não quero mais sofrer, o Universo só compreende a vibração da palavras quero e sofrer, o que atrai cada vez mais sofrimento para a pessoa. Procure sempre fazer afirmações positivas a respeito do que você quer atrair, no lugar de não quero mais sofrer, diga por exemplo, quero uma vida feliz. Visualize o que você quer alcançar, não aquilo que você quer manter longe. 
 

Voltando ao nosso exemplo, queremos um talismã para atrair saúde física para o corpo. Para isso, vamos usar a seguinte intenção: eu desejo ter um corpo saudável. Se a sua frase for longa, separe em duas ou mais sentenças. Comece retirando as preposições das frases e depois corte as letras repetidas do modo que fizer mais sentido pra você, até ficar com a síntese das letras. Depois, utilize a tabela pitagórica para passar as letras para seus equivalentes numéricos.

Como estamos usando a influência da Lua neste talismã, esse número deve ser também rastreado no quadrado mágico da Lua para gerar o sigilo da intenção. Faça o rastreamento dos números no quadrado, da mesma forma que fez para encontrar o sigilo do seu nome (lembre-se que para uma intenção diferente daquela que se encontra sob as influências da Lua, o quadrado mágico deverá ser outro).

 

Acrescentando os símbolos associados ao planeta regente
 

Agora você já tem os 4 sigilos que serão gravados no seu talismã: o sigilo do planeta, o sigilo da Inteligência do planeta, o seu sigilo pessoal sob a influência do planeta específico e o sigilo da intenção do talismã. Mas, segundo a tradição talismânica, você deve adicionar outras formas familiares à alma do planeta para garantir o máximo de correspondências, além do nome das forças espirituais superiores que o comandam.

Para cada planeta, existem símbolos, animais e plantas específicas. No nosso talismã da Lua, vamos começar acrescentando uma lua crescente, que é o símbolo planetário da Lua na Astrologia. Depois, vamos escolher figuras associadas à lua para compor o talismã: um cálice, uma flor de lótus, uma bola de cristal, uma lebre, um veado bebê (como o Bambi <3) e um unicórnio são alguns exemplos.

 

Vou escolher o cálice, pois faz alusão ao elemento água que tem propriedades curativas; a bola de cristal, visto que esferas são formas que irradiam energia harmônica que auxilia em processos de cura; e o unicórnio, por seu poder de cura conhecidíssimo no mundo da magia. Acrescentei a flor de lótus para aludir às forças de Sofiel, que como veremos mais à frente, é o anjo protetor da natureza. Escolha sabiamente as figuras em concordância com a intenção do talismã, sempre analise se a figura representa aquilo que você quer atrair.

A representação do divino também não pode faltar!
 

Em seus livros De occulta philosophia, Agrippa recomenda que se acrescente um pentagrama e um hexagrama, além de nomes divinos e uma passagem sagrada que dê força para o talismã. Essas recomendações também aparecem em livros de outros ocultistas renomados como Eliphas Levi e Arthur Edward Waite, por isso vamos considerar que esta é uma etapa importante na confecção do nosso talismã.


Na magia, o pentagrama simboliza a união dos quatro elementos e da essência divina para reunir forças em determinado objetivo sagrado. Já o hexagrama vem a ser as energias dos céus e da terra unidas, o que está no alto e o que está em baixo, o masculino e o feminino, o deus e a deusa. Estas duas figuras são importantíssimas na geometria Sagrada e na magia, então já deixe separado um de cada.

 

Quanto à passagem sagrada, ela pode ser extraída da Bíblia ou de qualquer outro livro sagrado com o qual você se identifique mais. Para isso, basta escolher um verso que se encaixe na sua intenção.

 

Dê preferência para as traduções em hebraico ou em latim, mas você também pode utilizar um alfabeto mágico para escrever, como as runas tebanas, por exemplo.

Escolhi usar neste exemplo o seguinte versículo da bíblia Ó Senhor, Deus meu, a ti clamei, e tu me curaste (Salmos 30:3). Que em latim é Domine Deus meus clamavi ad te et sanasti me. Você pode usar uma frase inteira ou apenas as iniciais dela, o importante mesmo é que ela descreva aquilo que você deseja alcançar (no nosso exemplo é a cura física). Eu optei, neste exemplo, usar apenas as iniciais.

 

Para a tradução em latim da Bíblia, recomento este e-book: Bíblia Português-Latim.
 

Já o nome divino deve ser escolhido de acordo com a influência planetária. Como a Lua está sob o domínio de Deus e do Arcanjo Gabriel, você pode acrescentar qualquer um desses nomes no seu talismã de cura e saúde. Mas, se você optar por usar algo mais específico, é melhor.

 

Na Cabala, Sofiel é um anjo associado à Lua, possuindo o conhecimento do poder das ervas e pedras sagradas, dos espíritos animais, dos espíritos da natureza, das flores e frutas e das artes mágicas de criar talismãs (que são boa medicina para o corpo e a alma). Claire Nahmad, em seu livro Angel Healing, acrescenta que Sofiel é também um anjo fundamental para reconectar as pessoas doentes e abatidas às energias vitais da Terra. Por isso, neste exemplo escolhi usar o nome angelical de Sofiel.

 Se você não se identifica com as energias dos anjos, não tem problema. Você pode buscar dentro de suas crenças um espírito superior que esteja relacionado à Lua e às energias de cura ou ao planeta que você tenha escolhido e sua intenção talismânica. Lembre que acima de tudo, qualquer ritual, feitiço ou objeto mágico precisa fazer sentido pra você. 
 

E agora, como é que eu junto todas essas informações?
 

Bom, já com todos os componentes que serão gravados no talismã, precisamos fazer um desenho único para juntar tudo. Na verdade, serão dois desenhos: um para a frente e outro para o verso da medalha. Tradicionalmente, você deve começar desenhando os dois círculos que servirão de limite. 

 

No desenho frontal, o pentagrama deve ser colocado ao centro, bem grande. Dentro de cada vértice do pentagrama, vai o símbolo do planeta que, no nosso caso, é uma lua crescente. Você também pode optar por escrever o nome do planeta em latim (ex.: Luna). Na parte do meio do pentagrama vai uma das figuras escolhidas. Escolhi colocar aqui o unicórnio (animal mágico lunar).

 

Em baixo do pentagrama deve ir o sigilo do planeta (sigilo da Lua) e à direita do pentagrama vai o sigilo da Inteligência do planeta (Inteligência da Lua). À esquerda, coloque o sigilo da intenção do talismã. Nos outros dois espaços escreva o nome do espírito divino que você escolheu (o do nosso exemplo é Sofiel). Obs: Próximo ao nome de Sofiel, escolhi colocar as flores de lótus como alusão à natureza, porém este item é opcional. Se você ficar satisfeito apenas com o nome sagrado, tudo bem!

 

Na parte de trás, faça o hexagrama. Ao centro dele, coloque o seu sigilo pessoal sob a influência do planeta regente, depois disponha a sua frase sagrada nos espaços disponíveis. Neste exemplo escolhi usar apenas as iniciais da frase, mas você pode optar por escrever a frase toda ao redor do hexagrama. 

 

Depois, acrescente os outros desenhos que você escolheu para simbolizar o planeta e sua intenção. Eu coloquei o cálice e a bola de cristal deste lado, que são os outros desenhos lunares que eu escolhi. No espacinho que sobrou, eu escrevi a palavra Amém (em latim, Amen) que é uma palavra de origem hebraica que possui enorme força na realização de pedidos. Ela não tem tradução direta para o português, mas seria algo como Assim seja. Na magia, usamos muito essa expressão!
 

Pelo amor da deusa, gente, não copiem esse desenho na íntegra. Se estiverem precisando de um talismã de cura, pelo menos, troquem o sigilo pessoal para o sigilo de vocês. O sigilo que está no desenho foi feito com o meu nome, então esse desenho só funciona para mim! Outro ponto importante, é que um verdadeiro mago deve estudar e planejar os seus próprios talismãs. Neste exemplo eu usei nomes de anjos e salmos em latim, mas você deve usar aquilo com o que você mais se identifica, para que você se conecte verdadeiramente com o talismã.
 

Dito isso, vamos à parte da confecção. 
 

Botando a mão na massa
 

No livro Grimório para o aprendiz de feiticeiro, o mago Oberon-Zell Ravenheart ensina um jeito roots para fazer a gravação em talismãs, através de um banho de ácido. Se você for realmente usar esse método, não preciso nem falar que é pra tomar um cuidado enorme pra não se queimar, né?
 

Enfim, conforme o método dele, você vai precisar passar o desenho no metal com uma caneta hidrográfica preta. Depois, derreta um tablete de cera de abelha ou algumas velas brancas em um recipiente descartável e aqueça também a medalha o suficiente para que a cera grude nela. Cubra com cera derretida e deixe que ela endureça, fazendo várias camadas para ter certeza de que o metal está completamente selado, mas que ainda se possa ver o desenho através da cera. 
 

Use um instrumento afiado (por exemplo, um prego) para traçar o desenho, perfurando a cera até alcançar o metal e derrame cuidadosamente ácido sulfúrico ou ácido clorídrico (ácido de bateria), iodina ou outro agente corrosivo. O ácido vai corroer o metal onde você traçou o desenho, mas a cera vai proteger o resto da medalha. Depois de algum tempo, lave o ácido com bastante água e raspe a cera.
 

Agora, uma opção bem mais tranquila é pegar o desenho e mandar fazer em um ourives ou levar em uma empresa que faz gravações eletroquímicas em metal, desde que eles se comprometam a confeccionar o talismã no horário planetário correto. Existem alguns profissionais que topam fazer isso, pesquise! 
 

Outra ideia é comprar uma medalha lisa e pintar com tinta esmalte preta e um pincel fino novo ou com uma caneta especial de gravação em metais, que pode ser comprada em lojas de artesanato (elas têm ácido no lugar de tinta). Além do talismã em formato de medalha, você também pode gravar os desenhos que você preparou em objetos, fazendo com que eles se tornem objetos talismânicos.
 

Sobre o material, o melhor metal para confeccionar um talismã para a Lua é a prata. Para fazer talismãs relacionados a outros planetas, você deve sempre consultar as correspondências planetárias para ver qual é o metal mais apropriado. Da mesma forma, lá você verá os dias e horas adequados para fazer a gravação (isso é muito importante). Além dos horários planetários, a melhor fase lunar para feitiços construtivos, como é o caso da confecção de talismãs, é a lua crescente. Mas, no caso de talismãs lunares, a lua cheia também pode ser uma boa fase!

 

Então, em uma segunda-feira (dia da Lua) em uma hora da Lua (calculada a partir do meio-dia astrológico - veja a tabela de correspondências), quando a lua estiver em fase crescente ou cheia, faça um preparo com um banho mágico ou uma meditação e comece a gravação do seu talismã. Tente terminar antes do final dessa hora! Mas, se não conseguir, não se desespere, faça tudo com calma. E, depois de terminar, guarde o seu talismã bem embrulhado até a próxima data mais favorável para fazer o ritual de purificação e, em seguida, o ritual de consagração.
 

Veja como purificar o seu talismã em Elaborando um ritual: purificação de objetos.
 

Lembre que o ritual de consagração do seu talismã deverá ser em um dia e hora planetários iguais aos que foram usados em sua fabricação, e que estão em concordância com o planeta regente escolhido. Tudo deve fazer sentido, é isso que vai dar força para a concretização do seu pedido! Ou seja, este talismã de cura e saúde deverá consagrado à Lua, sendo que você deve procurar utilizar em especial o elemento água no ritual, o que vai potencializar as propriedades curativas do objeto. Caso tenha escolhido outro planeta, você deverá avaliar quais são os elementos mais adequados para usar na consagração.

 

Aprenda um pouco mais sobre rituais de consagração em Elaborando um ritual: consagração de objetos.

 

Depois disso é só usar e ter fé que o seu pedido foi lançado ao Universo e que as energias estão trabalhando a seu favor!

 

Espero que tenha gostado deste tutorial! Qualquer dúvida ou informação para acrescentar, já sabe, é só comentar!

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

 POSTS RELACIONADOS

Please reload

SEGUE A GENTE NO FACEBOOK

ÚLTIMOS POSTS

Please reload