• Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Pinterest Icon
0

Correspondências mágicas: origem e influência dos planetas

14.11.2017

Indispensáveis para as práticas mágicas, são utilizadas até hoje no preparo de feitiços, encantamentos e rituais. Você conhece a origem astrológica das correspondências mágicas e qual é o significado de sua essência?

 

"É impossível compreender as ciências ocultas quando se ignora a astrologia, pois esta foi a maior herança mágica das civilizações desaparecidas." Pierre Vincent Piobb, Formulário da Alta Magia, 1937.
 

Já tem um tempo que o homem passou a observar o céu noturno com mais atenção e percebeu que certos astros eram diferentes de toda a massa de pontos brilhantes espalhados pelo céu. Estes astros não eram estrelas fixas, como a maioria. Pelo contrário, eles mudavam de posição, pareciam mais com estrelas andantes!

 

E são a esses mesmos astros que hoje chamamos de planetas (com exceção da Lua e do Sol, que apesar de se movimentarem no céu, não são planetas, como bem sabemos atualmente). Inclusive, a própria palavra planeta, do grego planetai, significa astro errante, ou seja, astro que se movimenta. 
 

Sabemos que somente os 7 "planetas" visíveis a olho nu eram conhecidos na antiguidade: Lua, Mercúrio, Vênus, Sol, Marte, Júpiter e Saturno. Portanto, para elaborar os trabalhos mágicos, os magos antigos analisavam somente este conjunto.

 

Conheça tudo sobre estas análises em: O Guia básico de Correspondências Planetárias

 
Muitos autores defendem até hoje que apenas estes 7 astros possuem influência suficiente sobre a Terra para serem utilizados nas práticas mágicas, visto que a distância dos demais planetas do nosso sistema solar em relação à Terra não permite que suas energias sejam significativas para nós, que estamos tão longe. 

Mas, qual é a influência dos planetas na magia?

 

Para o verdadeiro mago, o estudo dos 7 corpos celestes não faz parte apenas das ciências da astronomia, mas também do caminho mágico em direção ao crescimento espiritual. E este crescimento só é possível através do alinhamento do mago com o Logos Cósmico. 

 

Se pararmos para analisar, é possível perceber que o conceito de Logos Cósmico está presente em quase todas as religiões e tem sido estudado e revisitado nos quatro cantos do mundo. Este conceito simplesmente expõe a existência de uma grande Consciência Universal que fornece as condições necessárias para o desenvolvimento físico e espiritual de todas as essências divinas do Universo (é aquilo a que alguns de nós chamamos de Deus).

 

Esta grande consciência que é o Logos Cósmico é por sua vez dividida de modo que cada sistema solar possui seu próprio Logos Solar (também conhecido como Cristo), sendo ele também subdividido entre os planetas daquele sistema, formando os Logos Planetários. É daí que vem a associação dos conceitos astrológicos que conhecemos a cada um dos 7 principais distribuidores de forças da nossa Via Láctea.

 

Por sua vez, cada divisão e sub-divisão do Logos é apenas um reflexo do Logos Cósmico maior, tal como o nosso DNA reflete todo nosso corpo. Mas, do mesmo modo que nossa consciência humana não é capaz de enviar uma mensagem diretamente a uma molécula de DNA,  quanto maior e mais abrangente é um Logos, mais distante ele está do nosso alcance. Já dizia Jesus: "ninguém vai ao Pai senão por mim", ou seja, só é possível alcançar o Logos Cósmico (Deus) através do Logos Solar (Cristo). 

 

Leia um pouco mais sobre este assunto em: Correspondências planetárias através da Mitologia

 

A raiz do conceito de correspondências   

 

Bom, para alcançar o Logos Solar, a teoria mágica se propõe a utilizar a energia daquilo que podemos alcançar, ou seja, o Logos Planetário de cada um dos 7 astros visíveis a olho nu a partir da Terra. E para isto, é necessário fazer uso das ferramentas disponíveis em nosso planeta para ativar a comunicação entre as duas partes.

 

É importante citar que quando os primeiros homens se iniciaram na magia, a ideia de dualismo entre matéria e espírito não existia. Portanto, eles não imaginavam a substância etérea como sendo oposta à matéria. Pelo contrário - a seu ver, a substância (da qual era composta a alma) tinha a mesma essência das energias que compunham as coisas físicas. Então, a correspondência entre expressões sutis e coisas materiais era perfeitamente aceitável.

 

É curioso pensar que com o avanço da ciência acabamos por redescobrir este mesmo conceito. Sabemos hoje que tudo o que existe no plano material é composto por átomos, e cada átomo é formado por energia, ou seja, pela mesma essência que compõe a luz, o espírito e o pensamento. Nisso vemos que absolutamente tudo está conectado, o Universo nada mais é do que uma grande rede que vibra em diferentes frequências.

Da mesma forma, na magia tudo o que existe é percebido como uma vibração que desce do espírito em direção à mente e segue para o corpo, chegando na matéria. E a partir daí, o caminho inverso também é possível (da matéria ao espírito). Isto passa por todas frequências, desde a nível astronômico (planetas e estrelas), até o nível do mundo animal, vegetal e mineral (ervas, cristais e metais), além de frequências no campo sensorial (cores, aromas e sabores) e estados da experiência humana, sejam eles físicos, psíquicos ou intelectuais.

 

A teoria mágica nasceu, portanto, da observação da conexão que há entre todas as coisas, desde o Logos Cósmico até a menor partícula dos átomos; e da proposta de sacudir esta grande rede para realizar mudanças nos planos sutis ou da matéria - uma vez que cada nível de vibração é refletida em todos os outros campos aos quais ela está conectada. Imagine uma grande árvore com muitos galhos, ramos e folhas: a manipulação de qualquer uma destas folhas é capaz de ressoar e ativar toda uma rede específica de galhos. 

 

Considerações finais

 

Para entender quais coisas do plano mental e físico podem ser relacionadas a determinado planeta, precisamos primeiro conhecer quais são os aspectos energéticos do seu plano astral. Só então é possível assimilar os conceitos, as idéias, as sensações e as coisas do mundo físico que correspondem à mesma frequência vibratória que ele emana. 
 

Continue a estudar este assunto em: As influências dos planetas e a origem de seus símbolos

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

 POSTS RELACIONADOS

Please reload

SEGUE A GENTE NO FACEBOOK

ÚLTIMOS POSTS

Please reload